top of page

Diário De De.Composição #1


Meu ano começou no embalo do sacolejo de dois corpos jovens copulando, naquele balanço meio ritmado eu ia pensando: Tenho que escrever mais, mas o que escrever?! Por estar em uma situação mediana me falta inspiração logo que a força que mais me move é a raiva, então estar em um estado medíocre dificulta as coisas um pouco. Num estalo me veio a ideia, um diário claro! Um diário me ajudaria a escrever mesmo sem muita inspiração, citar e descrever acontecimentos da minha vida perturbada e pacata seria uma boa, obvio que inserir um pouco de fantasia nessa realidade dura e podre ajudaria também e me deixa juridicamente menos comprometido. Quão interessante seria relatar os fatos e ilusões do meu dia a dia? Veremos, me acompanhem na jornada dessa doença sexualmente transmissível chamada vida, mas já deixo claro que isso está longe de ser um diário que vai ser diário, deu para entender né?

Depois de uma noite da virada com muita conversa, risadas e brincadeiras sacanas eu me despeço dos meus amigos, um pouco triste por já perder a companhia, eu que sempre gostei da solidão tenho sentido ela me pesar um pouco mais nas costas mas ainda num nível suportável, só ao ponto de falar sozinho, se não falo minhas cordas vocais arranham muito ao soltar a primeira palavra após horas de silencio, creio que ainda nada muito preocupante. Um tanto exausto eu me deito em minha cama, olhos ardendo e muito sono, adormeço rápido mas não sem antes procurar pela internet um lugar para poder ver a posse do tricampeão da presidência do país, após um cochilo de algumas horas e sem sonhos eu desperto a tempo de ver o discurso e a subida da rampa, essa que me arrancou algumas lagrimas por ser tão emblemática e com uma mensagem tão poderosa, ao ponto de agradecer a covardia do genocida de ter fugido do seu compromisso parlamentar de passar a faixa para o seu sucessor e deixar algo tão memorável assim acontecer, secando os meus olhos ardidos eu sinto uma força interior, pensando em como foi difícil vencer a batalha que foram esses últimos quatro anos, de desastres atrás de desastres, o candidato eleito não era o que eu queria que fosse eleito mas era o que precisava ser eleito nesse momento, agora a luta continua, paz entre nós e guerra aos senhores, fogo nos racista e porrada nos fascista ou vice e versa.

À tardinha ainda cansado pela noite anterior peço um lanche pelo aplicativo capitalista, esse que poderia ser bem melhor se não fosse a ganancia de seus donos, enquanto aguardava arrumei umas coisas, principalmente alguns pensamentos, será que esse ano engrena o projeto de perder a pança? Mas tenho tanta coisa pra ajeitar antes, como disse o grande Mao Zedong “Não basta formular tarefas; é igualmente necessário resolver o problema dos métodos que permitem cumpri-las”, lembrando disso me perco nos pensamentos enquanto varro o chão, bem antes do esperado o rango chega, inclusive um dos melhores lanches que já pedi, largo a arrumação e vou comer.

Já tarde da noite tento ver uma animação da DC, mas, está tão chato que deixo minha ética cinéfila de lado e abandono o filme e então vou dormir, como de costume eu acordo pouco antes do despertador tocar, limpo a baba escorrida na barba, me levanto e vou para o banho, enquanto me arrumo cogito mudar o trajeto para o novo posto de trabalho, que é mais perto mas mais complicado de chegar, desisto e vou pelo mesmo caminho, por isso fico um tempão no terminal esperando o ônibus, no trabalho cujo o posto é bem mais tranquilo que o meu posto oficial, depois de cumprir algumas tarefas em uma das minhas três saídas para fumar, levei apenas 3 cigarros na carteira, a tia da limpeza me conta um meio bem mais fácil de se chegar lá, isso me deixa contente e muito agradecido a ela, por ser uma jornada de trabalho com a metade do tempo de que eu estou acostumado a trabalhar, o plantão passa num piscar de olhos, ao chegar ao ponto de ônibus eu encontro a tia da limpeza e agradeço novamente ao embarcar, chegando em casa enquanto eu devoro o restante do lanche da noite anterior a ideia de escrever esse diário que vocês meus telespectadores, (você está lendo numa tela, não está?) leem nesse momento se torna mais forte, apesar do desconforto eu abro um arquivo de texto e começo a digitar, horas depois eu peço outro lanche, sim, o projeto de perder a pança ficara um dia mais distante.

O filme abandonado era Batman And Superman Battle Of The Super Sons (2022).


O titulo do projeto é livremente inspirado no título do álbum Suici.De.Pression (Introduction To My End) do Thy Light, recomendo, vão ouvir música boa!


O lanche era do Jaca Burguer, propaganda não monetizada.


Este texto é de responsabilidade do autor/da autora.

29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Amor Tóxico

Não consigo ficar um dia longe de você. Eu tento me distanciar mas a falta que você me faz esmaga meu peito, pensei que com você longe a irritação seria maior quando o que mais incomoda é a tristeza,

A Solidão do Eco

No outro extremo da mesma rua silenciosa vivia um velhinho chamado Sr. Artur. Ele era um homem simpático, com um sorriso acolhedor e olhos brilhantes, mas também carregava consigo um passado marcado p

O Eco da Solidão

Havia uma rua silenciosa na pequena cidade que, mesmo banhada pela luz do sol, parecia estar mergulhada em uma eterna penumbra. Era ali que Dona Elisa vivia, envelhecendo junto com a casa de paredes d

Commentaires


bottom of page